COALIZÃO BUSCA A RETIRADA DE TRAVAS AO COMÉRCIO INTERNACIONAL

A atual situação ocasionada pelo Covid-19 fez com que algumas nações tomassem medidas de restrições no comércio mundial que afetaram muito, especialmente, os países de produção agropecuária. Nessa esteira, Brasil, Estados Unidos, Canadá, Austrália e Cingapura formaram uma coalizão para reclamar a retirada de tais vedações. A União Europeia que, atualmente, discute sua Política Agrícola Comum (PAC), não participa da coalizão.

A Organização Mundial do Comércio (OMC) observou que, em pouco mais de um mês, 165 novas medidas comerciais foram adotadas por seus países membros. Dessas, 94 têm o condão de facilitar o comércio internacional, principalmente em relação à importação de produtos médicos e hospitalares. Já, 71, são medidas que afetam negativamente o comércio restringindo operações de exportações e importações.

A exemplo das medidas, temos a Ucrânia que suspendeu a exportação de trigo até 1 de julho. O Egito proibiu exportações de azeitonas e de batatas por três meses. A Argentina, em contrapartida, eliminou tarifas de importações extrazona para outro álcool etílico não desnaturado, o que gera concorrência comercial com países de fora do Mercosul; na mesma toada, a Colômbia eliminou tarifas de importação sobre preparações alimentícias por seis meses e sobre milho (exceto para semeadura) até o final de junho. Outros países como Paraguaia, Reino Unido e China também aboliram ou reduziram tarifas.

Apesar do apresentado, destaca-se que o Brasil tem aumentado a exportação de alguns produtos, como o suco de laranja que registrou aumento significativo nos nove primeiros meses da safra 2019/2020, as exportações cresceram 18% e, reação ao mesmo período da temporada anterior e a receita teve aumento de 6%. O aumento se deve à vitamina C presente na laranja que muitos acreditam ajudar no combate do Covid-19 e ocorreu, principalmente, no mercado europeu.

Leave a Reply

WhatsApp chat