Magazine Luiza aposta no setor e investe no financiamento de máquinas

O Magazine Luiza resolveu entrar de vez no segmento de financiamento de máquinas agrícolas, pelo Consórcio Magalu.

A novidade leva em conta a capitalização gerada pela alta de preço das commodities agrícolas, o que tem feito os produtores rurais investirem em maquinário. Os produtores, porém, têm esbarrado na limitação das linhas de crédito para aquisição das máquinas.

Considerando essa realidade, o Consórcio Magalu, que negocia cartas de crédito, dobrou o número de gestores ligados à venda, no ano passado e, ainda, criou novos grupos e aumentou o contato com o público do agronegócio.

Para isso, foram feitas adaptações ao plano de consórcio que incluiu dentre outras, a ampliação da faixa de crédito que passou a R$ 120 mil a R$ 300 mil, por cota – antes, restringia-se ao valor de R$ 60 mil a R$ 120 mil, por cota. Também, é possível que cada produtor junte três cotas de aquisição, financiando maquinário de até R$ 900 mil.

Menciona-se que um dos principais atrativos do consórcio é a taxa de juros. Enquanto no Moderfrota e no Pronaf, as taxas de juros anuais são de 7,5% e 4,5%, respectivamente; os consórcios possuem taxa média de administração de 14% ao longo do contrato. A exemplo, em consórcios, para uma cota de R$ 207 mil, com pagamento em 115 meses, a taxa média é de 0,12% ao mês e 1,44% ao ano.

No caso do Consórcio Magalu, a taxa de administração é de, em média, 16% e o período médio a ser contemplado após a compra da cota é de 60 a 80 meses. É possível ao produtor fazer um lance e antecipar o acesso ao crédito. Também, pode o produtor mudar o objeto da compra.

As informações foram extraídas de texto de Marcela Caetano, para o Valor Econômico.

Leave a Reply

WhatsApp chat