Participação do Brasil no comércio externo

Breves Considerações

  • A Balança Comercial promove o registro dos índices de exportações e importações das mercadorias de determinado país ou região, sendo um importante indicador econômico. É através dela que surge a sinalização quanto à condição comercial do local, ou seja, se as operações foram positivas, negativas ou equilibradas. Resguarda particular influência sobre o Produto Interno Bruto (PIB), o qual acompanha, concomitantemente, seu crescimento e declínio.
  • Na balança, alguns conceitos são basilares: (i) superávit o valor das exportações supera o das importações; (ii) ocorrendo o contrário, estamos diante de um déficit. (iii) não havendo excedentes nos índices de exportação e importação, há o equilíbrio, (iv) corrente de comércio indica a soma das importações e exportações e (v) termo de troca é a relação entre preços de exportação e de importação.
  • De acordo com os dados divulgados pela Secretaria do Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Industria e Comércio (MDIC), em 2022, a balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 62,310 bilhões, alta de 1,5 % em relação a 2021 e maior valor da série histórica. As importações somaram US$ 272,697 bilhões, alta de 24,3%, e as exportações US$ 335,007 bilhões, alta de 19,3%, ambas maior valor da série.

Portanto,

O Brasil detém o título de um dos maiores produtores de alimentos do mundo, e seu crescimento econômico está eminentemente atrelado à atividade agrícola, o que decorre não somente da ampla extensão territorial, mas também das inegáveis vantagens competitivas, como condições climáticas e ambientais favoráveis. Nosso país possui a particularidade de uma agricultura adaptada para diversos tipos de regiões, e conta com produtores rurais conscientizados de suas responsabilidades com o aumento da produção de alimentos, que utilizam técnicas cada vez mais modernas. Como resultado, há melhoria dos indicadores econômicos do país (CNA, 2022).

No que concerne aos indicadores econômicos, importante termos em mente a imprecisão que circunda a análise de dados isolados, como critério conclusivo ao desempenho econômico de país ou região. Os fatores que influenciam esse cenário são complexos, dinâmicos e interligados, sendo necessário o estudo aprofundado de todos seus desdobramentos para alcançar uma conclusão.

Partindo de um ponto focal dentro das exportações, um dos setores com maior crescimento em 2022 foi o agropecuário, com aumento aproximado de 34% ante igual período do ano anterior (Ipea, 2022), impulsionado principalmente em razão do aumento no nível do preço, registrando crescimento em valor para as principais relações comerciais do Brasil, como a China, União Europeia, Estados Unidos e Argentina. No entanto, nota-se déficit expressivo na balança comercial brasileira com o EUA, correspondendo ao maior déficit bilateral do Brasil em relação a todos os seus parceiros comerciais no ano, com uma crescente de aproximadamente 70% em relação ao ano anterior. A princípio, os dados preocupam, mas importa evidenciar que, nessa mesma relação, o Brasil alcançou o recorde de US$ 37,4 bilhões em exportações, o que demonstra um positivo avanço da corrente comercial brasileira, ainda que a relação Brasil-Estados Unidos não tenha sido, em sua completude, tão satisfatória quanto o desejado. Essa volatilidade apresentada pelo mercado demonstra que a complexidade das balanças comerciais depende de uma análise verdadeiramente aprofundada, além de ficar claro o salto comercial protagonizado pelo mercado brasileiro.

Deixe um comentário